Péssima surpresa no filme São Silvestre

Assistir o filme São Silvestre foi para mim, uma surpresa dupla. Pensei que veria um filme de bom gosto, pois haviam quatro estrelas atribuídas ao referido.

Para meu desespero, o filme é de tamanho mau gosto que não deu para ter uma ideia de história, de substância. Se queriam divulgar a prova, nem precisava. Se queriam mostrar o envolvimento de um ator, ou a sua opinião a respeito da prova, fomos muito mal representados, pois, nem os atletas menos treinados agonizariam tanto quanto o “pseudoatleta”.

O início da sessão destinaram as imagens de São Paulo, e diga-se de passagem, muitos carros, principalmente os da WV. Por exemplo, numa cena de um farol, dois carros da WV parados lado a lado, e nunca poderia imaginar que iria ao cinema para observar dois carros que ali ficaram, sem um porque, talvez para nos lembrar que o trânsito de SP é caótico? Ou talvez porque são os patrocinadores, também não, então resta-nos saber entender o espírito do filme. Até ai foram 30 minutos, somente dispensados ao trânsito e ao povo, que aliás, os rostos focados das pessoas eram de surpresa pela filmagem que por eles passavam.

Depois, a largada da prova, sob enorme chuva, foi a edição de 2011, o tempo inteiro o ator aparece como se estivesse correndo, mas numa colagem de imagens, dava para desconfiar que estava numa esteira, era muito estranho, a cena toda balança, mas não é que balança pouco, se tiver labirintite, não vá, mas não da para crer que este estava correndo e muito menos, na prova, no chão, era uma cena patética, e que provavelmente estava parado, simulando, numa esteira talvez. Verdade, verdade, ele aparentava correr em algum lugar que não na prova, nunca tinha presenciado cenas tão mal feitas. Acreditava que este ator iria morrer ao final.

Filme de péssima qualidade e quem ganhou, certamente com o filme, foram os atletas das cenas, pois a câmera focava, muitas vezes, inclinada, dando a entender que estavam descendo um longo aclive, só rindo.

Simplesmente comovente que algumas empresas acreditem em tal trabalho e consigam nos convencer de tamanho absurdo.

Precisamos alertar aos amigos, para que não gastem seu dinheiro com tamanha trapalhada de filme, melhor assistir ao Pastelão.

Miguel Sarkis

Nenhum comentário:

Postar um comentário